[Coluna] Revirando a Estante, por Jéssica Rufino – Ah! Esses poetas! Ah! Essas mulheres!

livro_parqueindustrial-218x300 Romance de estréia de Patrícia Galvão, teve a edição paga por Oswald de Andrade. É o primeiro romance proletário da literatura brasileira, ou seja, que tinha como tema personagens, problemática e ambientação ligados à classe operária. É um contraponto ao chamado romance de 30, de autores como Jorge Amado, Graciliano Ramos e Rachel de Queiroz, entre outros, na exploração dos aspectos da vida do povo em meio a transformações sociais. O romance, usando recursos expressivos modernistas, tem influência do estilo de Oswald. É um painel abrangendo as interações de personagens de classe operária e de outros de classe média alta. A vida na fábrica, nos cortiços do bairro paulistano do Brás, são o cenário de pequenos dramas quotidianos centralizados no amor, no sexo e no dinheiro.

“Parque Industrial” foi lançado nos Estados Unidos, em traducão de K. David Jackson, no ano de 1994. A editora foi a University of Nebraska Press.

AH! ESSES POETAS!!!

AH! ESSAS MULHERES!!!

Inspirado no livro Parque Industrial, de Patrícia Galvão como Mara Lobo – Pagu.

Editora: José Olympio
Número de páginas: 121

AH! ESSES POETAS!!!

AH! ESSAS MULHERES!!!

Menina, aonde vai com este sorriso?
Menina, vão falar, se ficar sorrindo assim…
Menina, aonde vai com estas asas?
Não é permitido voar aqui…
Menina, aonde vai com esses pensamentos?
Não é permitido pensar aqui!
Menina, aonde vai com estes sonhos?
Não te ensinaram que sonhar é inútil!
Não te falaram que o real é o mais importante?
Menina, pare de gritar!
Eles ainda dormem…
Menina, não incomode!
Faz anos que as regras são assim…
Menina, não questione!
O mundo não vai mudar!
Menina, não lute!
Fique calma e siga as regras.
Menina, seus sonhos são utopias,
Quimeras inalcançáveis e inúteis.
Menina, esquece o sol,
Trabalhe e produza.
Menina, não olhe para a Lua,
Durma ou assista TV.
Menina, estrelas não realizam desejos.
Concentre-se nas propagandas.
Menina, respeite as regras,
Respeite os homens
Respeite as normas
Respeite a sociedade.
Não discuta,não afronte,
Não levante essa sua voz de mulher!
Menina, esqueça os poemas,
Escritores são loucos.
Menina, esqueça quem você é!
Siga a massa!
Menina, Menina, MENINA!!!!
Menina?
Volte aqui, desça deste céu e venha!
Volte que preciso lhe ensinar,
Volte, não é permitido voar!
Ah! Menina,
Um dia você volta para nos salvar…
Jéssica Rufino

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *