[Resenha] A segunda chance, de Roberto de Carvalho – Boa Nova Editora

a-segunda-chance2

Inspirado por: Francisco / Médium: Roberto de Carvalho
Gênero: Infantojuvenil
Páginas: 28
Editora: Boa Nova
Cortesia: Lilian Comunica Assessoria de Imprensa
Ilustrações: Rafael Sanches

Sinopse:

Numa tarde de vento forte, Francisco resolve empinar sua pipa perto da fiação elétrica, achando que conseguiria guiá-la. Mas a aventura não termina bem. Ele leva um choque e, gravemente ferido, é internado em um hospital. Enquanto seu corpo está em coma, Francisco permanece numa região sombria do plano espiritual, onde é orientado por um Espírito amigo sobre temas como riscos da desobediência na infância, imortalidade da alma e o poder da prece como cura. Será que o menino conseguiu absorver os fundamentos dessas lições?

Resenha:

Olá amores!!

A resenha de hoje é sobre um garotinho apaixonado por soltar pipas, e que em um dia de muito vento sem sua mãe e amigos por perto resolve empinar sua pipa perto de redes elétricas.

Deixando de lado as recomendações da mãe para não fazer isso, Francisco desobedece e o resultado não acaba nada bem. Perdendo o controle sobre a pipa em meio a tanto vento, Francisco sofre um grave acidente, é internado em coma e acorda em um local totalmente estranho a ele.

Nesse local estranho, conhece Renato, um garoto que vai contar a Francisco o que realmente aconteceu.

Neste livro encantador e ricamente ilustrado, Roberto encontrou uma maneira sábia de mostrar para as crianças a importância de ouvir e obedecer a seus pais. O livro é psicografado, e isso tornou a leitura muito mais tocante. Como acredito muito no espiritismo e na vida após a morte da matéria fiquei encantada com o relato de Francisco. É uma lição de aprendizado e de oportunidade. Uma história para instruir os pequenos sobre as consequências da desobediência e de que nem sempre será possível uma segunda chance…

A escrita do autor é fluída e de fácil entendimento. Uma leitura que encanta, toca e surpreende.

Recomendo.

Tenho que parabenizar a editora Boa Nova pelo capricho da obra, as ilustrações  de Rafael Sanches ficaram lindas também.  A capa está uma graça.

Esta resenha foi escrita originalmente por mim para o portal OLiterário no qual sou colaboradora.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *